Pilates e a dor na cervical

Não é novidade que o Pilates é uma prática muito indicada para tratar patologias relacionadas a algumas dores devido ao seu foco no fortalecimento muscular, alongamento e centralização da coluna.

No entanto, é muito comum os praticantes de Pilates reclamarem de dor na cervical durante a execução dos exercícios de Pilates, principalmente àqueles em que se deve sustentar a cabeça no ar contra a gravidade. Mas apesar de ser um pouco comum a presença de dores nesta região, é fato que o aluno não deve permanecer com este desconforto durante as aulas.

E pensando nisso, separamos a seguir algumas informações relevantes para que você possa melhorar a qualidade das aulas e evitar que seus alunos sofram de dor na cervical de maneira prolongada. Confira!

Investigando a causa da dor

O primeiro passo para tratar a dor da cervical é verificar se o aluno não possui patologias previamente analisadas por um especialista. Neste caso, se o aluno não possui um histórico médico, então significa que pode haver:

  • Falta de mobilidade cervical;
  • Falta de força nos músculos cervicais tanto anteriores como posteriores;
  • Falta de estabilidade da cintura escapular;
  • Tensão cervical;
  • Execução incorreta na hora de realizar os exercícios;

Preparando a coluna cervical

Uma vez tendo avaliado as causas da dor e descartado possíveis patologias cervicais, será preciso preparar a coluna cervical para trabalhar sem dor. Neste caso, alguns exercícios de mobilidade articular são recomendados:

  • Realize movimentos com a cabeça para os lados, como se estivesse dizendo não;
  • Realize movimentos com a cabeça para cima e para baixo, como se estivesse dizendo sim;
  • Incline a coluna cervical para o lado, como se estivesse encostando a orelha no ombro. Repita o mesmo passo no outro lado.
  • Eleve o queixo até o céu e em movimento de rotação, leve-o até a clavícula. Repita na diagonal oposta.

Importante: Todos os movimentos devem ser realizados sem compressão, nem dor na cervical.

Avaliando a força dos músculos anteriores e posteriores da coluna cervical

Outro fator importante para tratar as dores cervicais durante a prática do Pilates é verificar a força dos músculos anteriores e posteriores, seja em posição supina ou em posição inclinada. Para isto, são recomendados os seguintes exercícios:

Isométricos:

Utilizando o Magic circle, o aluno deverá contrair a musculatura do pescoço por meio dos seguintes movimentos:

  • Com o Magic circle na frente e sobre o queixo, coloque-o por cima do pavilhão auricular, sem pressionar sobre o mesmo.
  • Com a cabeça dentro do Magic circle, apoie a zona superior do occipital. Empurre com a cabeça para frente e para trás, pressionando com a testa.

Concêntricos:

  • Realize exercícios ativos que dão resistência com o Magic Circle e com a mão na cabeça vencendo a resistência, para que assim não haja dores na região cervical.

Evitando dores na coluna cervical

Além de algumas práticas comuns para tratar as causas das dores na cervical durante os exercícios, também é importante evitar alguns posicionamentos incorretos durante a prática. A seguir você pode conferir algumas dicas para evitar a dor na cervical durante os movimentos:

  • Antes de realizar um exercício, o aluno deverá preparar sua cabeça, pescoço e a cintura escapular de modo a deixa-las estabilizadas;
  • Inale e flexione a coluna torácica alta, sempre acompanhando o movimento com o olhar. Os músculos anteriores do pescoço deverão somente estabilizar a cabeça, a fim de evitar que ela caia com o peso da gravidade;
  • Para evitar as compensações, os músculos do pescoço jamais deverão trabalhar no lugar da musculatura abdominal.
  • Ao praticar o exercício Swan, o aluno deverá estabilizar as escápulas, dirigindo o movimento de extensão da coluna cervical desde o acompanhamento, de modo a ampliar a cabela até mais a frente e para cima, sem comprimir a coluna cervical por trás.

Durante a prática de qualquer exercício, o instrutor deverá avaliar a posição correta da cabeça do aluno, sempre observando se existem desvios ou inclinações da mesma. Músculos alongados ou encurtados e compensações durante os exercícios também devem ser observadas.

 

Por mais que seja comum a presença de dores na cervical de alguns alunos, é preciso estar sempre ciente de que o método Pilates não possui nenhum princípio voltado ao desconforto. Portanto, se o aluno não possui um histórico médico referente a dores na cervical, cabe ao instrutor investir o que pode estar causando este problema.

A mobilização e o fortalecimento dos músculos do pescoço e da cintura escapular serão fundamentais neste caso, para evitar as dores do pescoço durante a prática do Pilates. Além disso, é muito importante estar sempre atento ao posicionamento correto dos movimentos, a fim de fazer do Pilates uma prática cada vez mais benéfica para os alunos.

E você, já presenciou algum aluno com dores cervicais em seu estúdio? Compartilhe conosco a sua experiência!

Deixe seu comentário

Reserve sua aula gratuita!

Agendar Agora

Seja um franqueado!

Saiba mais