De que forma o Pilates contribui para o tratamento da hérnia discal

O Pilates é um método que utiliza exercícios físicos e alongamento e que tem por objetivo um trabalho com o corpo de forma integral, proporcionando equilíbrio muscular, articular e mental. A técnica visa também a reeducação dos movimentos, que traz enormes ganhos na manutenção da boa postura, evitando, dessa forma, danos à coluna vertebral.

O Pilates pode ser utilizado para diversos fins, inclusive o terapêutico. Alguns tratamentos podem ter o auxílio do método, com bons resultados a longo ou a curto prazo, dependendo do grau do problema a ser tratado. A hérnia discal é um deles que se beneficia com o método, e é sobre ela que iremos falar aqui no post. Confira!

Sabendo um pouco sobre a hérnia discal

Para começar, podemos definir hérnia de disco como um disco intervertebral que sai de seu local de origem, podendo ser de forma natural ou provocado por algum acidente. Quando isso acontece, o disco comprime as raízes dos nervos que se localizam na medula espinhal. Esse processo é responsável pelos sintomas clínicos que acometem pessoas que apresentam o problema, dentre eles a dor.

A hérnia discal é mais comum na coluna lombar e cervical. No entanto, atualmente com o uso exagerado de tablets e smartphones que provocam uma postura incorreta, o problema passou a ocorrer com muita frequência na coluna cervical.

De que forma o Pilates atua no tratamento

O Pilates é um método muito requisitado no tratamento da hérnia discal. Tem se mostrado bastante eficaz e atua em todas as fases do problema, evitando o agravamento e melhorando os sintomas do paciente.

As aulas iniciais visam ensinar ao aluno como contrair corretamente o transverso do abdômen e o multífido lombar, que são músculos com funções estabilizadoras da coluna vertebral.

O programa das aulas de Pilates que deve ser utilizado para esse objetivo terapêutico é o de estabilização segmentar vertebral que pode ser dividido em três partes:

– Cognitivo: visa ensinar a maneira correta de como o indivíduo deve contrair a musculatura estabilizadora.

– Associativo: tem por objetivo fazer com que o aluno mantenha a contração desses músculos estabilizadores da coluna ao mesmo tempo em que são realizados movimentos de membros e tronco.

– Automático: treina a execução de exercícios mais complexos, que devem ser realizados com todo o cuidado de forma a garantir que não haja compensação.

Movimentos que devem ser evitados por pacientes com hérnia discal

– Flexão da coluna;

– Retroversão pélvica;

– Flexão da coluna com rotação da coluna lombar.

Benefícios da prática Pilates para a hérnia discal

1. O método promove a estabilização da hérnia de disco e , dessa forma, evita que o problema se agrave.

2. Como o Pilates ensina o praticante a estabilizar a coluna, evitando movimentos que tendem a agravar o problema, contribui para uma vida mais saudável e sem dor.

3. Contribui para o fortalecimento dos músculos que estabilizam a coluna.

4. Os exercícios de alongamento, contantes nas aulas, contribuem para um maior afastamento entre as vértebras, sendo um método muito efetivo contra as dores.

Como você pôde ver no post, o método Pilates pode contribuir para o tratamento de problemas posturais e da coluna vertebral. Confira no nosso site outras atuações do Pilates e como ele pode contribuir para que você leve uma vida muito mais saudável!

Deixe seu comentário

Reserve sua aula gratuita!

Agendar Agora

Seja um franqueado!

Saiba mais