Você conhece os seis princípios do Pilates?

Quando o alemão Joseph Pilates criou a contrologia, há mais de 80 anos, talvez não imaginasse que tantas pessoas teriam a saúde restaurada e ganhariam mais qualidade de vida através de seus princípios. O método, que hoje leva o seu sobrenome, busca o controle da mente sobre o corpo levando a uma movimentação espontânea, harmônica e consciente.

O Pilates enfatiza a qualidade sobre a quantidade, ou seja, é preferível fazer menos repetições de um movimento mas da forma correta. Isso, além de evitar lesões, produz resultados significativos em um tempo mais curto do que se pode imaginar. Existem seis princípios do Pilantes que devem ser dominados pelo praticante ao realizar o método. Confira cada um deles:

1. Respiração

O primeiro e talvez mais importante princípio do Pilates é a respiração, que deve estar sempre coordenada com o movimento feito. Ou seja, ela acompanha o exercício e a repetição deve ter o mesmo tempo que a respiração do indivíduo. Nos momentos de maior esforço se expira de forma forçada, enquanto que nos de menor esforço se inspira de forma natural.

Mais do que uma forma de relaxamento, esse tipo de respiração tem um objetivo maior. É que ela ativa a musculatura profunda do abdômen, assoalho pélvico e eretores profundos da coluna promovendo uma melhor estabilização da região lombo-pélvica durante o exercício.

2. Centro

Também chamado de power house, casa de força ou centro de força, é o ponto focal para o controle corporal. Segundo o princípio, todo movimento feito no Pilates só pode começar quando o “centro de força” do corpo estiver ativado, ou seja, toda a parte abdominal, um conjunto de músculos responsáveis pela sustentação da coluna e dos órgãos internos. O objetivo é deixar a musculatura abdominal bem trabalhada para não sobrecarregar a região lombar.

3. Concentração

No Pilates a mente é quem deve guiar o corpo. A concentração é extremamente importante nesse processo para sentir cada etapa do movimento e fazê-lo da forma correta. Não se deve focar apenas no músculo trabalhado, mas manter a concentração do corpo inteiro para que o próprio praticante saiba se corrigir quando necessário e ter consciência corporal, além de evitar lesões.

4. Controle

Este princípio é fundamental para atingir a qualidade do movimento, que deve ser feito de forma simultânea e consciente. É preciso que o praticante se mova com facilidade e domínio do corpo.

5. Precisão

Todo movimento do Pilates deve ser feito com precisão. Cada um carrega um propósito e tem uma forma específica de ser feito para que não haja gasto desnecessário de energia. Esse princípio é essencial para a qualidade do movimento, realinhamento postural e para melhores resultados. É algo que se adquire com o tempo e está somado aos demais princípios, principalmente à concentração, que ajuda a levar à perfeição da execução.

6. Fluidez

O último princípio talvez seja o mais difícil de alcançar porque é resultado de todos os outros feitos corretamente e algumas pessoas levam tempo para chegar a esse nível. Ele indica que o movimento deve ser feito de forma coordenada, harmoniosa e contínua, sem movimentos bruscos e sem interrupções entre as repetições.

Você conhecia os seis princípios do Pilates? Conte para a gente nos comentários abaixo! 

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Reserve sua aula gratuita!

Agendar Agora

Seja um franqueado!

Saiba mais