Dança e Pilates: uma dupla que dá certo!

Você sabia que o Pilates pode ajudar a melhorar a performance de quem pratica dança? É que bailarinos e dançarinos precisam se dedicar muito à atividade que escolheram e volta e meia acabam tendo lesões. Com a prática do método eles não só evitam esses contratempos como melhoram características importantes para a dança como postura, equilíbrio e força.

Quer saber mais sobre como essa dupla de atividades que dá super certo? Então continue a leitura!

Pilates e dança na história

Quando o alemão Joseph Pilates criou a contrologia, nos anos 1920, conhecida hoje pelo seu sobrenome, não tinha a intenção de focar seu trabalho nos bailarinos. Porém, seis anos depois, quando emigrou para os Estados Unidos, montou um estúdio de reabilitação em Nova Iorque no mesmo prédio da New York City Ballet e da Cia Martha Graham.

Em pouco tempo vários bailarinos começaram a procurar seus serviços para melhorar a técnica, se recuperar de lesões ou pela capacidade do método de criar músculos longos, magros e definido. Entre os seus clientes mais famosos estavam lendas da dança como Ruth St. Denis, Ted Shawn, Jerome Robbins, George Balanchine e Martha Graham, bem como o ator José Ferrer e o autor Christopher Isherwood.

Para se ter uma ideia da fama conquistada, em 1950 a revista Dance Magazine publicou um artigo chamado “Everybody goes to Joe’s”, falando sobre a busca dos dançarinos pelo método. Ainda assim, a popularidade entre os bailarinos ainda tinha muito o que crescer, mesmo após a morte do criador do Pilates, em 1967. Foram os próprios discípulos que levaram a técnica adiante, como o bailarina Romana Krysanowska, que por mais de 50 anos ministrou aulas no mundo todo.

Já nos anos 1970 o bailarino Ron Fletcher abriu um estúdio de Pilates em Beverly Hills que foi muito frequentado por celebridades de Hollywood. A partir daí a classe artística, incluindo os dançarinos, começaram a conhecer mais da técnica e utilizá-la em seu benefício.

Benefícios do Pilates para dançarinos e bailarinos

  • Possui baixo impacto evitando lesões comuns entre bailarinos profissionais;

  • Trabalha com o fortalecimento e alongamento dos músculos sem hipertrofia, ou seja, sem adicionar volume ao corpo, já que bailarinos não podem ser pesados;

  • Exige harmonia, precisão, controle e fluidez do movimento – assim como a dança;

  • Fortalece os músculos abdominais internos, importante para que a tensão na parte posterior do corpo seja minimizada e as lesões evitadas;

  • Fortalece a região do powerhouse, muito usada pelos dançarinos para postura e equilíbrio;

  • Garante força para o corpo todo, algo essencial para quem precisa de todos os músculos para dançar;

  • Trabalha a consciência de movimentos melhorando o controle de cada um deles por parte do bailarino;

  • Fortalece pernas protegendo os joelhos, região muito exigida na dança;

  • Promove o alongamento de todo o corpo.

Como você pode ver, dançarinos profissionais e amadores, sejam homens, sejam mulheres, podem se beneficiar da prática do Pilates e em pouco tempo perceber a diferença no rendimento e na performance.

Converse com o seu instrutor e peça um treino adaptado para melhorar o seu rendimento como bailarino. Se você ainda não pratica o método, clique aqui e agende uma aula experimental da Pure Pilates!

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Reserve sua aula gratuita!

Agendar Agora

Seja um franqueado!

Saiba mais