Quem NÃO PODE fazer pilates?

O Pilates é um dos poucos exercícios que pode ser feito pela maioria das pessoas, independentemente de sexo, idade ou condicionamento físico.
Até mesmo por isso ele é indicado por médicos a quem tem problemas de saúde dos mais variados, desde os ortopédicos até doenças emocionais. Para se ter uma ideia, portadores de hérnia de disco, bico de papagaio, dor cervical e dor no nervo ciático podem praticar Pilates.
Crianças a partir de cinco anos, idosos e gestantes também.

Apesar disso, cada indivíduo é único.

Existem casos bem específicos em que não se pode praticar Pilates ou que o paciente precise melhorar em algum aspecto antes de iniciar as aulas. Caso você desconfie que tenha alguma limitação, faça uma avaliação com um médico ou fisioterapeuta antes das aulas.

O próprio instrutor poderá desconfiar de alguma restrição durante a avaliação ou no decorrer das aulas e orientar o aluno a procurar um especialista, mas para isso o estúdio deve ter como meta a preocupação com o bem-estar do aluno antes de se preocupar em preencher suas turmas. Por isso, busque sempre um estúdio sério e de confiança.  Como o estúdio da Pure Pilates.

Pilates deve ser evitado no caso de restrição médica

Sempre que o médico pedir restrição a exercícios, incluindo o Pilates, é preciso respeitar essa decisão. Pode haver inflamações e necessidade de repouso e somente o médico, que conhece o histórico do paciente, poderá liberá-lo para a atividade.

Um estúdio de Pilates sério e comprometido com a saúde dos alunos não passará por cima da restrição médica.

Se você está na dúvida se o médico agiu corretamente, procure outro profissional para uma nova avaliação.

Há ainda os casos de gravidez de risco. Quando a gestante está passando por isso e o médico exige repouso absoluto, ela provavelmente será proibida de praticar Pilates. Nesse caso, é preciso respeitar a decisão médica.

Quem necessita de atenção especial na prática do Pilates:

Como você pode ver, as restrições são raras, mas há alguns públicos que necessitam de uma atenção especial e de exercícios adaptados.

Diabetes não controlada

Quem tem diabetes deve avisar o instrutor para que ele cuide com a intensidade e o tipo de exercício que vai indicar. Mesmo que o Pilates não tenha levantamento de muito peso, o fisioterapeuta ou educador físico ficará atento ao peso do seu corpo e das molas para que o exercício não ultrapasse os limites do aluno.

Hérnia de hiato

Quem possui hérnia de hiato precisa de atenção nos movimentos que usam muito a musculatura do abdômen, como os abdominais. O esforço pode provocar refluxos.

Hipertensos

Quem é hipertenso deve ser monitorado de perto pelo instrutor, já que certos movimentos podem causar picos de pressão, principalmente se realizados segurando a respiração.

Condromalácia patelar

Os esportes são geralmente contraindicados para indivíduos com condromalácia patelar.

O Pilates acaba se tornando um ótimo aliado do tratamento, mas é preciso que o instrutor conheça o problema para adaptar os exercícios de forma que não prejudique o aluno ou o faça sentir dores.

Lembre-se de sempre informar o instrutor das suas limitações, dores e doenças diagnosticadas, inclusive as não ortopédicas.

Isso é fundamental para a sua evolução nas aulas e para o professor pensar estrategicamente como poderá ajudá-lo a atingir o seu objetivo.

Você gostaria de fazer uma avaliação pra começar a praticar Pilates? Entre em contato conosco e agende uma aula experimental!

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Reserve sua aula gratuita!

Agendar Agora

Seja um franqueado!

Saiba mais